Reitor de Fátima critica ataques à família e “epidemia” da mentira

Maio 11, 2008
11.05.2008 – 13h10 Lusa
O reitor do Santuário de Fátima, Luciano Guerra, defendeu hoje a dignidade da família contra aquilo que considera ser um ataque da legislação à sua estabilidade.

“A verdade das leis mede-se pelo bem que elas conseguem para aqueles a quem se aplicam”, escreve o reitor no jornal oficial do Santuário, “Voz da Fátima”, que foi hoje divulgado.

No seu texto, o sacerdote considera que se mente em demasia na sociedade actual, um problema que é uma “epidemia” e “provoca a desintegração da unidade e da verdade no alicerce social”.

“Mente-se nas grandes instituições, mente-se entre as pessoas responsáveis pela sua liderança, mente-se nas nações, no Governos, nos sindicatos, nas empresas, nos partidos, em toda a espécie de associações (e não só no futebol), mente-se até nas instituições criadas para educar e defender as crianças”, escreve o reitor.

Luciano Guerra aponta mesmo os escândalos sexuais na Igreja dos Estados Unidos, considerando que “até entre os pastores do Povo de Deus se encontram grandes mentirosos”.

Ataque aos políticos

No caso da família, a nova legislação sobre o divórcio e sobre o aborto – que nunca é referida directamente – é alvo de ataques.

Os políticos e a sociedade “incentivam as relações precoces (irresponsáveis) dos adolescentes, facilitam o suceder dos divórcios, caucionam a infidelidade conjugal, não previnem o abandono dos filhos pequenos e só agora descobrem o hediondo crime de pais que recorrem às piores calúnias para privarem o outro progenitor da custódia dos filhos”, refere ainda o editorial da edição evocativa dos 91 anos das Aparições.

Monsenhor Luciano Guerra será substituído em Outubro por Virgílio Antunes, que foi já nomeado como sucessor pelas autoridades eclesiásticas.

%d bloggers like this: